Trinta

Este post tem apenas e só o efeito paliativo de me recordar que estou a um mês de fazer trinta anos.


Fazer trinta anos não tem nada de mal, à excepção de 
- sair dos vintes, 
- estar mais perto dos entas
- e de em geral estar acabada e velha.

Como assim, vou fazer trinta anos??

....

Agora a sério.
Estou contente por esta fase porque ninguém leva a sério pessoas de vinte (embora me pareça que isto tenha mais a ver com a minha cara de catraia do que com a data de nascimento) e porque trinta é bonito. Faço trinta no ano em que a minha filha faz três, portanto há alguma poesia cósmica nisto e porque como vou viver até aos cem, significa que não vou nem a meio do caminho o que no fundo também são sempre boas notícias.

De resto, aos (quase) trinta, já acabei o curso e saí de casa dos meus pais (o que também é sempre bom, especialmente para eles), sou independente (embora a sopa da casa da mamã seja sempre melhor do que a minha), sou auto-sustentável (ainda que aquele blusão de ganga que a minha mãe me deu outro dia me tenha sabido a ginjas), sou casada e mãe de filhos (em rigor, uma filha só mas percebem a ideia) e portanto tudo está bem a Norte - melhor só se ainda estivesse nos vintes, pronto.

1 Coisas dos outros