Londres - manhã do dia 1

Chegamos a Londres, idos do Porto, na sexta-feira pelas 20:00 h., num voo de duas horas que aterrou em Gatwick (e ainda bem porque Stansted tem as linhas de comboio ocupadas com reparações; Heathrow também tinha sido opção, porque há metro). 

À saída do aeroporto, apanhamos o Gatwich Express, o comboio que parte de quinze em quinze minutos em direcção a Victoria Station, numa viagem de trinta minutos (Custo: cerca de 19 livras / pessoa). Um conforto.

O nosso hotel, para onde fomos a pé, ficava na zona de Westminster e foi exactamente por ali que jantamos nesse dia, já tarde; um restaurante asiático muito bom, a saber exactamente ao que nos apetecia, chamado Firecracker. -Vai recomendado.

Se podíamos ter ido fazer coisas várias no campo da animação nocturna nesse dia? Podíamos. Se fizemos? Não! Xixi - cama, que o dia já vai longo.


No dia seguinte estamos de fim-de-semana, mas temos o despertador a tocar às oito e pouco, para aproveitar tudo e conseguir fazer efectivamente alguma coisa. Depois do pequeno-almoço (no hotel) e de ter garantido que tinha vestidas pelo menos cinco camisolas, um gorro e luvas, pés ao caminho.

Westminster tem num mesmo quarteirão (Parliament Square): Westminster Abey, Houses of Parliment, Big Ben e logo ao lado London Eye. Chegamos aqui pela beira rio, dez minutos a pé. Gostaríamos de ter visitado tudo mas faltou-nos tempo nuns casos e oportunidade nos outros. Por exemplo, a visita às houses o parliament tem hora marcada, mesmo não sendo guiada, e a hora disponível já não dava para nós. Maybe next time.

Apanhamos por isso metro na estação de Westminster  com destino a Notting Hill (um bilhete de metro para 24 horas custa cerca de 12 libras).

Ia à procura da porta azul do filme mas acabamos em Portobello market (que também queríamos visitar) e o que achávamos que ia ser uma pequena paragem de meia hora, transformou-se numa manhã maravilhosa. Largas horas na rua, num mercado que tem de tudo mas em especial antiguidades (lindo, tudo!) e souvenirs. Comemos comida de rua, que por alguma razão sabe maravilhosamente, comemos doces de rua e andamos quilómetros que valeram mesmo a pena.

Daí fomos em direcção a Kensigton Gardens, com o objectivo de os atravessar a pé, seguindo o Hide Park até Oxford Street (ainda bem que não o fizemos porque é muito mais longe do que parece) mas o meu homem teve a ideia perfeita de alugarmos bicicletas e foi esse o meio de transporte. Todas as cidades deviam ter esta possibilidade, de usar bicicletas para passeio, que se recolhem aqui e entregam ali, numa mobilidade invejável. O aluguer custa duas libras por bicicleta e os primeiros trinta minutos são gratuitos. Estava frio mas foi mesmo um passeio perfeito, altamente recomendado e com palminhas ao meu homem. Estacionamos as bicicletas junto ao Marble Arch, não sem antes vermos uma manifestação contra o Trump junto à Embaixada dos Estados Unidos. Próxima paragem seria Oxford Street (mas falamos mais).

1 Coisas dos outros

  1. Oh, ler isto deu-me cá uma saudade de Londres. Foi sem dúvida, a cidade que mais gostei de visitar. Na altura fui 5 dias e amei tudo. E voltava, sem dúvida nenhuma. Lembro-me tão bem de Notting Hill e Portobello market que ao ler o teu post, fui transportada ao passado. Ai, que saudades!!!

    ResponderEliminar