Outras injustiças desta vida

Por esta altura do campeonato já toda a gente percebeu a minha revolta (para não dizer outra coisa) com esta realidade de ter crianças saudáveis na escola uma semana - crianças doentes em casa duas, seguido de crianças saudáveis na escola outra vez e crianças doentes novamente. É uma coisa que me mexe cá nas entranhas, tendo em conta essencialmente que o nosso recorde foram três semanas na escola sem adoecer. Três! É a loucura.. (not!)

Revolta-me, irrita-me, gostava de conseguir mudar esta triste realidade com outra solução que não fosse suspender de vez a escola (as coisas estão a correr melhor - fora bichos). Mas infelizmente não sei que posso fazer. Alguém tendo ideias, grite muito alto.

Anyway;
Na verdade, por muito revoltante que isto seja só por si, tem ainda um efeito secundário: a avó é chamada ao papel de enfermeira e o tempo que passa com a criança é a tratar dela. Não está certo!

No nosso caso em particular, a minha filha ficou com a avó até aos três anos, amigas inseparáveis, companheiras de brincadeiras, super cúmplices e próximas. Desde que foi para a escola, a minha mãe continua a vir pelo menos um dia por semana para a ir buscar (mais cedo) a brincar mas, para além disso, é quem nos continua a salvar quando é preciso.

- Mãe, a C. está doente, podes ficar com ela?
- Mãe, a C. tem gastroenterite, podes vir? 
- Mãe, é febre.. Importas-te?

Sendo que isto tem obviamente algum reflexo nela, que se vai um pouco abaixo, anda mais irritada, menos paciente, às vezes sem apetite. E a avó de suporte à uma criança que em vez de andar feliz e contente da vidinha dela a recordar o tempo em que estava com essa mesma avó em casa, está é chateada e aborrecida por estar doente. Logo, também uma avó que em vez de passar dias com a neta, feliz e contente também na vidinha dela, passa esses mesmos dias mas no papel de cuidadora.

Isto para dizer no fundo que doenças na escola deviam ser proibidas por lei e decreto e regulamento e que todo o mundo devia andar saudável
Pronto, era isto.

2 Coisas dos outros

  1. Totalmente de acordo! A minha filha quando fica doente, a quem recorro eu? À minha estimada sogra. Porque sem ela, o que seria de nós (faltar tantos dias ao trabalho seria um caso sério!). O grande problema cá para mim, é que há muitos miúdos que vão na mesma para a escola com viroses, não curam como deve ser e acabam por espalhar os vírus aos outros miúdos.

    ResponderEliminar