Cozinhar

Aprendi uma coisa fantástica nestes últimos meses: Cozinhar requer tempo.

Não sei como nunca me tinha apercebido disto mas um jantar feito numa hora fica imensamente melhor do que aquele feito em trinta minutos. Acho aliás que o conceito de boas refeições feitas em quinze ou trinta minutos  não existe (apesar dos inúmeros livros a querer provar o contrário). Há todo um leque de sabores que só se desenvolvem com a cozedura lenta em lume brando. Percebi isto e acho que cozinho melhor desde aí.

Percebo também que, ao escrever isto, parece mesmo que a seguir vou fazer publicidade a algum utensílio de cozinha fantástico e que resolve todos os nossos problemas culinários. Mas não é o caso. Na verdade não ia a lugar nenhum com esta reflexão, estava só a pensar alto.

Imagino no entanto que isto seja na verdade porque ainda me atormenta um pouco o jantar de passagem de ano que fiz o ano passado. Quem diria, um ano depois…!

Tive a brilhante ideia de experimentar um prato que nunca tinha feito num dia em que tínhamos visitas para jantar. Péssima ideia. Tão péssima que por várias vezes em jantares em casa o homem me sugeriu experimentar coisas novas e sempre recusei com o argumento de que testar com terceiros pode correr mal. Não sei bem o que me passou pela cabeça, ainda para mais no dia 31 de Dezembro. Terá sido do açúcar do Natal.

Experimentei uma receita que nunca tinha feito, pese embora a sua imensa simplicidade, e correu mal. Não ficou bom. Não ficou nada como imaginei. Zero! Lembro-me imensas vezes dessa refeição, como um tremendo falhanço. E julgo que inconscientemente fui procurando em mim uma justificação para o desastre.


Parece-me que cheguei agora a essa razão: tempo. A comida precisa de muito tempo porque cozinha melhor se devagar. E eu não lhe dei tempo, não porque não o tinha no dia mas porque não sabia que isso era importante. É a diferença entre fazer de comer ou fazer uma refeição. Comer, comemos qualquer coisa. Mas boas refeições.. já aprendi a lição.


2 Coisas dos outros

  1. Acreditas que eu acho exatamente a mesma coisa? Já não é a primeira vez que como algo e não tem o sabor de outras vezes e percebo que foi à pressa, um desenrasque e não apura os sabores. É mesmo verdade. Daí que ache que por vezes, à semana, quando já passa das 21horas e entro na cozinha só penso "Como é que vou fazer comida boa se quero é ver se como o quanto antes?".
    Cozinhar às vezes é um prazer mas na grande maioria das vezes, requer aquilo que neste momento me vai escapando: tempo.

    ResponderEliminar
  2. Por essas e por outras é que não aprecio cozinhar. Por muito que goste de boa comida, aborrece-me o dispêndio de tempo à volta dos tachos!

    ResponderEliminar