Portanto, já percebi que não posso andar nua em casa

Não que ande nua em casa, é só uma força de expressão para demonstrar que todas as coisas que acontecem à frente da minha filha, podem muito bem ir parar aos ouvidos dos vizinhos.

Se não vejamos:

1. Fez dois anos há um mês e por diversas vezes, curiosamente em elevadores ou espaços mais pequenos (lá a miúda acha que isto é um bom desbloqueador de conversa) diz: A C. fez dois anos - enquanto exemplifica com os dedos.

2. Se alguém lhe pergunta o que fez, nesse dia ou no fim-de-semana, rebobina a informação:
- Fui a casa da T;
- A mamã ficou triste porque a C. deitou a maça ao chão (eu tinha-me zangado efectivamente);
- Viu um Noddy na tisião (aka televisão).

3. Sem mais nem porquê, encontra os vizinhos na rua e diz.
Eu sou a C. (enquanto bate com a mão no peito);
O papá P. está a trabalhar no avião;
A mamã A. está em casa.

4. Na aula de música, já disse à Professora S. que o papá tem uma guitarra igual à dela;

5. No pediatra, disse-lhe que a cadeira é igual ao do pai (é, de facto)

E tudo isto tenderá por certo a piorar com a idade. Ainda há dias uma amiga passou no semáforo amarelo com o filho de três anos dentro do carro e no dia seguinte na escola as educadoras já sabiam que "a mãe gosta muito de passar vermelhos."

Só esperava este tipo de coisas lá para os cinco anos. Temos de ter imenso cuidado com o que dizemos porque ela repete tudo. 

Aqui há tempos nas urgências o médico que nos atendeu perguntou se já tínhamos considerado a hipótese de lhe tirar as fraldas (ela ainda estava vestida nesta altura). 
Ora, a C. faz o número dois no pote desde os 9 meses e este ano no Verão (22 meses) fizemos o desfralde total (de dia - ainda dorme à noite de fralda). 
Quando contei a sugestão do médico à minha mãe, ela saiu-se com um "Oh, juízo, doutor!" como quem "não está a ver que a menina já não usa fraldas há séculos? 
Pois que a senhora minha filha adorou aquela expressão e agora sempre que dizemos alguma coisa que na cabeça dela não tem jeito nenhum ("C., não risques a mesa!"), ela do alto dos seus dois anos responde com um maravilhoso e sarcástico "juízo, doutor!" Temo pelo dia em que diga isto em frente a algum médico..!

Portanto, temos uma esponja super absorvente em casa, que está sempre com um olho no burro e outro no cigano, que é como quem diz, não lhe escapa nadinha do que se diz ou faz. Creio que isto é o começo do fim da nossa vida privada portanto, mesmo que quisesse muito, não posso andar nua em casa.


3 Coisas dos outros

  1. Ahahahah opa as crianças sao tao inocentes... adoravel! mas sim, é nelhor começres a ter cuidado xD

    Beijinho
    The-not-so-girlygirl.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. A minha ainda não me deixou ficar mal, mas acredito que seja sempre algo que deixa uma pessoa corada. E não há como fugir à vergonha :)

    ResponderEliminar
  3. Ohhh tão giro! Há coisas que são amazing de ouvir e de perceber o quão rápido entendem e percebem as coisas na sua ingenuidade. Mas há outras tantas que é preciso cuidado...adorei!

    ResponderEliminar