O que é preciso para se dar o click?

Há coisas pelas quais lutamos como animais. 

Se as minhas filhas precisam de alguma coisa, eu faço das tripas coração para o conseguir. Viro bicho se for preciso. 
Se no trabalho nos pedem alguma coisa que nos parece impossível de tão difícil, damos o nosso máximo, vamos ao limite.
Se um amigo nos pede ajuda, mesmo quando não nos é fácil ajudar, damos tudo para chegar lá.

Qual é o ponto em que, embora achemos alguma coisa extremamente difícil, trabalhosa, complicada, nos decidimos a fazê-la e conseguimos? 

O que é preciso para que se dê o click? O click da acção?
É gostarmos muito de alguém? Termos brio no trabalho? Sentirmos especial responsabilidade, seja lá por que motivo for? O que nos move?

Se as coisas que achamos mesmo que devem ser feitas, as fazemos, porque razão me estou a deixar andar em relação a mim própria? Será que não valho a pena? Que sinto que está tão perdido que não preciso de me esforçar?

Se eu acho que preciso de perder peso, porque continuo a comer coisas que não devo?
Se sei que tenho de fazer exercício, porque não o faço efectivamente?
Se vejo que a minha doença de pele está cada vez pior e tenho de agir quanto a isso, porque estou parada?
Porque será que em relação a mim não sinto qualquer click de acção? Porque não sou uma urgência?

Estou a deixar-me andar de uma forma que me assusta. E nem é só porque o Verão está a chegar e andamos mais expostos ou mais na rua. Também não será só porque experimentei um bikini que me assustou. Suspeito que tenha algo a ver com o facto de terem passado quatro meses desde que estou de licença e de não ter feito absolutamente nada além de tratar da minha filha e das coisas de casa. Não li. Não escrevi. Não fotografei. E o que é mais grave, não faço a mais pequena ideia porquê. 

Claro que posso dizer que não tenho tempo. É verdade que o tempo foi não sei bem para onde e que voa todos os dias mas isso não é razão. Eu teria tempo. Eu tenho tempo para o que acho ser necessário. A verdade é que talvez ache que eu não sou necessidade suficiente. Talvez haja alguma falta de amor próprio. 

Mas depois olho para as minhas filhas e sei que devia ser um exemplo em todos os campos incluindo no aspecto, no cuidado, no não desleixar (mesmo que isto para já não seja importante para elas) e sobretudo na força, na determinação, na vontade. Acredito honestamente que conseguimos fazer tudo o que quisermos, até mover montanhas, mas ultimamente parece que estou tão parada em tantos campos que nem me reconheço bem. Preciso de um click. Preciso urgentemente de um click.

4 Coisas dos outros

  1. Se descobrires como se faz para esse click ocorrer,pf avisa-me! Percebo-te perfeitamente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, eu grito muito muito muito alto !! ;P

      Eliminar
  2. Meu Deus, tu não tens noção do quanto me identifiquei com TUDO aquilo que escreveste.

    "Se eu acho que preciso de perder peso, porque continuo a comer coisas que não devo?
    Se sei que tenho de fazer exercício, porque não o faço efectivamente?
    (...)
    Porque será que em relação a mim não sinto qualquer click de acção? Porque não sou uma urgência?"

    Tal e qual. Não estou paranoica com o meu peso mas sinto que tenho de começar a pôr pés ao caminho. Isto porque peso-me todas as semanas e há 3 semanas atrás estava com 62kg e ontem, quando me pesei, vi uns horríveis 65,7kg a aparecer na balança.
    Sei que agora ando muito mais por casa e ando mais parada. Quando estava a trabalhar, não parava um segundo. Agora, de licença de maternidade, é diferente. As rotinas não implicam correrias: mudar a fralda, adormecer o J., tratar da casa não me deixa a suar em bica. E o meu corpo ressente-se. É um cansaço diferente daquele que sentia quando trabalhava.
    O problema em perder peso quando se está em casa é precisamente esse: estar em casa. Tudo está à mão quando temos fome. Uma bolachinha. Ou um chocolatezinho só porque hoje até nos sentimos mais carentes.

    Dou por mim de pijama até ao final da manhã. Um dia destes se alguém bater à porta, estou eu de pijama.
    E ginástica cá em casa... podia fazer. Podia, mas a minha cabeça estabelece outras prioridades e depois estas coxas e esta barriga não fazem e não sofrem o que deviam.

    Li cada palavra tua como se fosse minha. Vamos ter mesmo de assumir um compromisso connosco. Mas porque raio sabemos que o temos de fazer mas não o fazemos?
    Já dei por mim a pensar que quando vier o bom tempo, vou fazer caminhadas. Estou para ver!

    Um grande beijinho e obrigado por teres escrito isto, mesmo sem o saberes, entraste no meu cérebro e usaste todas as palavras certas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Great minds think alike !! :)
      Um beijinho grande!

      Eliminar