Já estou em Lisboa há anos suficientes para saber que Baixa e carro não combinam.
Ainda assim, com um bebé a tiracolo, pareceu-me a melhor opcção quando comparada com outras (transportes, designadamente).
Não foi. Nem de carro nem de outra coisa qualquer.

Demorei quarenta minutos a chegar e trinta a encontrar lugar no parque de estacionamento da Praça da Figueira;
No Rossio estava um evento qualquer com uma pequena multidão e atravessá-lo foi uma aventura;
Nesta altura apercebi-me que tinha deixado o carro aberto;
Quando cheguei ao sítio combinado, como já tinha passado uma eternidade desde que tinha saído de casa, já estava praticamente na hora de dar de mamar outra vez;
Pedi dois sabores de gelado e um deles era mau;
Estive quinze minutos no Santini;
A C. começou a chorar no caminho para o carro;
Meia hora depois ainda estava a caminho e ela já berrava;
A pessoa que estava comigo e que ia ficar na Baixa às compras acabou por me acompanhar perante o pranto;
Metemo-nos no elevador que julguei fosse dar ao parque e acabamos na plataforma do metro;
Dei à volta à Praça toda à procura da entrada do parque que, juro, levou sumiço. Acabei por entrar pelo acesso dos carros;
Tudo isto demorou e a miúda sempre a chorar;
Raspei o carro num poste do parque;
Paguei uma fortuna pelo tempo que lá estive;
Apanhei todos os semáforos da Almirante Reis vermelhos;
Não tive tempo de chegar a casa e parei no Areeiro para dar de mamar, com a pessoa com quem tinha ido lanchar ainda dentro do carro, possivelmente a dizer mal da vida dela;
Dei de mamar a correr para não demorar mais a pessoa e ir para casa sossegar;
Não satisfeita, a pequenina chorou pelo caminho até casa;
Adormeceu na entrada da garagem;
Quando cheguei percebi que tinha perdido uma babete.

Baixa? Nunca mais!

 

2 Coisas dos outros

  1. Eu até tive estranhos,na rua,que me ofereceram ajuda. Que desorientada que eu devia parecer. (Tenho gémeos)

    ResponderEliminar
  2. Quem disse que as mães têm uma vida monótona? :)

    ResponderEliminar