O que salvavas?

Altamente influenciada por "This is us", essa série que me dá cabo do coração, surgiu-me a dúvida do que salvaria caso a minha casa ardesse (Deus me livre) e só pudesse salvar uma coisa.

Estou obviamente a pensar em bens materiais, partindo do princípio de que todas as pessoas estavam salvas.

Se tudo se perdesse e só pudesse escolher uma coisa, o que salvava?


Comecei por pensar na minha caixa de anéis. Não pela questão do valor monetário, que não valem assim tanto, mas pelo imenso significado que têm na minha vida.

Depois pensei na máquina fotográfica, que é o meu maior luxo, o meu Ferrari (sem a parte das rodas).

Mas depois percebi que a única coisa que tinha realmente de salvar era o nosso disco externo, que é no fundo o álbum digital de todas as fotografias da nossa família. O meu arquivo fotográfico desde 2005. As imagens da nossa vida. Não importava mais nada, desde que tivéssemos as fotografias.

No fundo, não há nada como as memórias.


2 Coisas dos outros

  1. Percebo perfeitamente o teu raciocínio. Esta semana comecei a organizar as fotos da minha filha (estavam organizadas só até 2015 - shame on me!!!) e percebi que há tanta coisa que merece de facto ficar eternizada em fotografias. Porque quer queiramos, quer não, o tempo passa e esquecemo-nos facilmente de como eles eram (e nós também) há dois, três anos atrás. E há aqueles momentos... demasiado bons que merecem registo. E não há nada mais valioso do que fotos, por isso é que decidi que a muito curto prazo quero organizar o álbum dela até à época mais recente.

    ResponderEliminar
  2. Completamente de acordo: não há nada como as memórias. E agora que pensas nisso, tens cópia disso em algum lado?

    ResponderEliminar