Arrume a sua casa. Arrume a sua vida

Há algum tempo que tinha curiosidade em ler este livro. 
Não ache que seja desarrumada por aí além mas reconheço que há coisas em que queria melhorar. Nunca tinha surgido a oportunidade até que aqui há dias um colega que promove um sistema de empréstimo de livros dentro da empresa, mo emprestou. Andou ainda algum tempo em cima da mesa da cozinha (desarrumado!) até que me decidi a pegar nele na última viagem de comboio Porto - Lisboa - Porto (e em seis horas, li-o todo).

O que reter?

Bom, primeiro não sinto total identificação com o livro; para ser sincera aliás, só a primeira parte me fez pensar um pouco na minha própria situação; 
Depois, é sempre necessário ler com algum grão de sal este tipo de publicações e admitir visões diferentes.

Posto isto, notas que me fizeram sentido:

- O processo de arrumar a casa como ela o vê, deverá demorar no máximo 6 meses.
- Devemos arrumar por categoria e não por divisão (isto é, roupa e não quarto ou livros e não sala);
- O primeiro momento do processo é: decidir o que deitar fora;
- Decidir o que deitar fora faz-se desta forma: todos os itens da categoria a arrumar são postos num mesmo sítio e para cada um deles de forma individual devemos perguntar "dás-me alegria?". Tudo aquilo em que a resposta seja - honestamente - sim, fica; tudo o que não, vai (ela fala várias vezes em deitar ao lixo, mas acho que podemos fazer a nossa interpretação e doar por exemplo);
-Terminada esta tarefa, entra a parte da arrumação propriamente dita, onde também dá algumas dicas com que não me identifico muito, salvo talvez a de arrumar as coisas da mesma categoria no mesmo sítio (exemplo: não ter livros espalhados por toda a casa mas concentrá-los todos no mesmo sítio) e da forma de organizar roupa.

De resto, tem algumas passagens que de facto não me disseram nada, como deitar livros fora, como de esvaziar todos os dias o conteúdo da carteira ou mesmo como agradecer a todas as coisas diariamente (obrigada carteira, obrigada sapatos, obrigada casaco).

A parte boa de ter lido este livro?
Estou com uma fúria de arrumar a roupa!
Já decidi o dia: será no feriado.E vou fazer uma coisa que nunca fiz antes: pegar em todas as peças de roupa que tenho em casa (de todos os armários, gavetas, sacos de arrumação, verão e inverno) e em todos os sapatos,botas, etc e pôr tudo no chão. Para cada uma destas peças terei de decidir se quero manter ou dar - talvez não exclusivamente com base no critério da alegria, mas numa óptica qualquer de que hei-de me lembrar. Espero reduzir drasticamente a quantidade de tralha.

Logo no início do livro pergunta-se qual o motivo de querermos arrumar. E eu estive a reflectir e acho que quero arrumar para ter mais coisas que usar. Parece um contra senso? Não é.
A verdade é que com os armários e gavetas todos apertados, acabo por usar sempre as mesma peças porque não vejo as outras. Variar está na forma como temos a organização e a que eu tenho actualmente (e nos últimos anos) não me permite ver a globalidade das coisas que tenho. Esvaziar os armários daquilo que não uso, vai dar-me espaço para ver o que gosto de usar. 

Talvez possa existir um outro motivo, que tem a ver com o arrumar a vida depois de arrumar a casa, mas a isso só poderei chegar depois de arrumar efectivamente - portanto falamos mais tarde sobre isto. Até lá, wish me luck!


0 Coisas dos outros